Padrinhos Ibn Mucana

Sermos padrinhos do 5ºano, e assim podermos ajudar os novos alunos, está a ser uma experiência única! 
Há seis anos atrás vivemos a mesma experiência que os nossos afilhados estão agora a vivenciar ..

e por isso compreendemos a necessidade de apoio e de orientação nos primeiros tempos na nova escola, para que se possam sentir integrados nesta nova comunidade escolar que tanto difere da qual a que estavam familiarizados no primeiro ciclo. Eles procuram a nossa ajuda, tal como nós também a procurámos, e nós estamos lá para os apoiar, assim como há alguns anos atrás outros também o fizeram por nós.
 Assim como nós acolhemos a turma, a própria turma acolheu-nos a nós, havendo por isso uma reciprocidade no que toca à vontade de se estabelecer uma relação entre os padrinhos e os afilhados. Isto facilita-nos imenso a tarefa de envolvermos os novos alunos no ambiente em que iram não só aprender, mas também formar-se enquanto cidadãos ponderados e ativos, e nunca esquecendo os bons momentos lúdicos que a escola lhes irá proporcionar. Terem um par de amigos em que confiem e que os apoiem em tudo o que for preciso, que os oiçam acerca não só dos seus problemas escolares, mas também sobre os seus problemas pessoais, e que estejam dispostos a responder a todas as suas questões acerca da nova escola: é para tudo isto que nós, padrinhos, cá estamos. Eles precisam de um exemplo, precisam de alunos mais velhos com os quais se sintam à vontade para exporem todas as suas dificuldades e que os ajudem a ultrapassá-las. Precisam de “copiar” estes alunos mais velhos, mais ou menos como fazem com as soluções do Caderno de Atividades de Matemática! Precisam de nós para se sentirem maiores e importantes, nesta nova escola na qual são os mais pequenos e os que se sentem mais perdidos neste novo ambiente escolar.
 É incrível podermos acompanhar os "pequeninos" nesta nova fase das suas vidas, que lhes permitirá abrir portas para que descubram o seu lugar na sociedade e a sua verdadeira vocação. Quando olhamos para os nossos afilhados, vemo-nos muitas vezes a nós próprios, identificamo-nos com a visão que têm do mundo que os rodeia, pois também nós já a tivemos. Por isso é, para nós, uma grande alegria podermos ajudar os nossos afilhados sempre que precisarem, para que se possam sentir parte da grande família da nossa escola.

Beatriz Vila e Luís Vila-Lobos do 11ºB